domingo, 16 de setembro de 2018

Sobre expor-se

O sujeito da experiência é um sujeito “ex-posto”. Do ponto de vista da experiência, o importante não é nem a posição (nossa maneira do pormos), nem a “o-posição” (nossa maneira de opormos), nem a “im-posição (nossa maneira de impormos), nem a “pro-posição” (nossa maneira de propormos), mas a “ex-posição”, nossa maneira de ex-pormos, com tudo o que isso tem de vulnerabilidade e de risco. Por isso é incapaz de experiência aquele que se põe, ou se opõe, ou se impõe, ou se propõe, mas não se ex-põe.

 LARROSA, Jorge. Notas sobre a experiência e o saber de experiência. Rev. Bras. Educ., Rio de Janeiro, n.19, jan./abr. 2002, p.24-25.

domingo, 9 de setembro de 2018

Resumo: Função Executiva: Habilidades Para a Vida e Aprendizagem

Resumo: Função Executiva: Habilidades Para a Vida e Aprendizagem: memória de trabalho, flexibilidade mental e autocontrole

sábado, 25 de agosto de 2018

Vai começar o horário político 2018...


Clara Nunes - "Lama" (letra de Mauro Duarte, 1976)

domingo, 27 de maio de 2018

domingo, 15 de abril de 2018

Plim Plim 2017

Dr. Fefê aparece a partir do tempo 3 min. 38s.
"Alexandre Henderson participa de diversas atividades no primeiro Festival de Invenção e Criatividade, onde crianças e jovens, seus familiares e professores botam a mão na massa e aprendem brincando! É a primeira vez que o festival é apresentado na Feira Brasileira de Ciências e Engenharia, a FEBRACE, no campus da Universidade de São Paulo."

Link para vídeo: https://globoplay.globo.com/v/5880354/

quinta-feira, 29 de março de 2018

sábado, 24 de março de 2018

Direitos Humanos e Marielle Franco

Bem-vindxs!


Um certo resolvi me mudar para esse sítio.

Para contato, escreva para: fernando @ carril . com . br

Tudo junto.

Abraços!

sábado, 17 de março de 2018

Por que SUVs têm "cara de mau"?


"Consumidores preferem veículos que pareçam agressivos". 

Isso foi dito por executivos de montadoras a um jornalista do New York Times no ano 2000. As chamadas SUV ("veículo utilitário esportivo", em inglês) geralmente tem aparência de felinos, com design e acessórios que imitam veículos militares para lembrar "carro de combate no campo de "batalha". Segundo a indústria, são compradas por clientes mais voltados a segurança pessoal e menos comprometidos com família, geralmenmte com tendência a dirigir de forma menos passiva nas ruas, ao contrário dos proprietários de peruas e minivans.

Embora o típico motorista de SUV americano quase nunca saia do asfalto, esses consumidores  gostam desse estilo para "ficar por cima" no trânsito das cidades. Porém, há um preço a pagar: as SUVs oferecem menor visão lateral, são mais instáveis nas curvas e os pedestres atingidos por eles tem três vezes mais chance de morrerem do que se fossem atingidos por um veículo normal.

Apesar disso, SUVs tem crescido em popularidade. Ao longo dos últimos anos, mais de 50% dos novos veículos vendidos nos EUA eram deste tipo, pois são mais lucrativos para empresas automobilísticas. Nos EUA, as entidade de segurança que exigem todo tipo de equipamentos por dentro para reduzir as mortes (ex. airbags), nunca se envolveram em legislar sobre o exterior dos carros para ajudar a proteger pedestres e ciclistas.

(Traduzido do site Streetblog)

Fontes:

https://usa.streetsblog.org/2017/10/19/we-know-suv-design-kills-pedestrians-but-we-still-let-carmakers-sell-them/

domingo, 10 de dezembro de 2017

HOJE É DIA DO PALHAÇO!


Meu agradecimento a tod@s nesta estrada da vida.